O que é Análise Técnica?

O que é Análise Técnica?

A análise técnica (Technical Analysis ou TA), conhecida também como análise gráfica, é um tipo de análise que tem como objetivo prever o comportamento futuro do mercado com base na ação do preço anterior e nos dados de volume. A abordagem TA é extensivamente aplicada a ações e outros ativos nos mercados financeiros tradicionais, mas também é um componente da negociação de moedas digitais no mercado de criptomoedas.

Diferente da análise fundamental (FA – Fundamental Analysis), que considera múltiplos fatores em torno do preço de um ativo, a TA é estritamente focada no histórico de variação do preço. Portanto, ela é utilizada como uma ferramenta para examinar as flutuações de preços e os dados de volume de um ativo. Muitos operadores a empregam na tentativa de identificar tendências e oportunidades comerciais favoráveis.

Enquanto formas primitivas de análise técnica surgiram no século XVII em Amsterdã e no Japão no século XVIII, a TA moderna frequentemente remete ao trabalho de Charles Dow. Um jornalista financeiro e fundador do jornal The Wall Street Journal, Dow foi um dos primeiros a observar que os ativos e mercados individuais frequentemente se movem em tendências que poderiam ser segmentadas e examinadas. Mais tarde, seu trabalho deu origem à Teoria Dow, que encorajou novos desenvolvimentos na análise técnica.

Nos estágios iniciais, a abordagem rudimentar da análise técnica foi baseada em folhas feitas à mão e cálculos manuais, mas com o avanço da tecnologia e da computação moderna, a TA tornou-se difundida e agora é uma ferramenta importante para muitos investidores e traders.

Como funciona a análise técnica?

Conforme mencionado, a TA é basicamente o estudo dos preços atuais e anteriores de um ativo. A principal suposição subjacente da análise técnica é que as flutuações no preço de um ativo não são aleatórias e geralmente evoluem para tendências identificáveis ao longo do tempo.

Essencialmente, TA é a análise do mercado em relação as influências da oferta e da procura, que são uma representação geral do mercado. Em outros termos, o preço de um ativo é um reflexo das forças opostas de compra e venda, e essas forças estão intimamente relacionadas às emoções dos traders e investidores (essencialmente medo e ganância).

Vale ressaltar que a TA é considerada mais confiável e eficaz em mercados que operam em condições normais, com alto volume e liquidez. Os mercados de alto volume são menos suscetíveis à manipulação de preços e influências externas anormais que podem criar sinais falsos e tornar a análise técnica inútil.

A fim de examinar os preços e, eventualmente, detectar oportunidades favoráveis, os traders utilizam uma variedade de ferramentas gráficas conhecidas como indicadores. Os indicadores de análise técnica podem ajudar os traders a identificar as tendências atuais e também fornecer informações detalhadas sobre as tendências que podem surgir no futuro. Como os indicadores de TA podem falhar, alguns traders fazem uso de vários indicadores como forma de reduzir os riscos.

Indicadores de TA comuns

Normalmente, os traders que usam TA empregam uma variedade de indicadores e métricas diferentes para tentar determinar tendências de mercado com base em gráficos e históricos de preço. Entre os inúmeros indicadores de análise técnica, o indicador das médias móveis simples (MMA ou SMA) é um dos exemplos mais utilizados e conhecidos. Como o nome sugere, a SMA é calculada com base nos preços de fechamento de um ativo dentro de um intervalo de tempo definido. A média móvel exponencial (MME ou EMA) é uma versão modificada do SMA que pondera com maior ênfase os preços de fechamento mais recentes em detrimento dos mais antigos.

Outro indicador comumente utilizado é o índice de força relativa (RSI), que faz parte de uma classe de indicadores conhecidos como osciladores. Ao contrário das médias móveis simples que simplesmente acompanham as mudanças de preço ao longo do tempo, os osciladores aplicam fórmulas matemáticas aos dados do preço e, em seguida, produzem leituras dentro de intervalos predefinidos. No caso do RSI, esse intervalo vai de 0 a 100.

O indicador das Bandas de Bollinger (Bollinger Bands ou BB) é outro do tipo oscilador, bastante popular entre os traders. O indicador BB consiste em duas faixas laterais que se movem em torno de uma linha média móvel. Ele é utilizado para medir a volatilidade do mercado e para identificar possíveis condições de sobrecompra e sobrevenda.

Além dos instrumentos mais básicos de TA, existem alguns indicadores que dependem de outros indicadores para gerar dados. Por exemplo, o RSI estocástico é calculado com a aplicação de uma fórmula matemática ao RSI regular. Outro exemplo popular é o indicador de divergência e convergência da média móvel (MACD). O MACD é gerado pela subtração de dois EMAs para criar a linha principal (a linha MACD). A primeira linha é então usada para gerar outro EMA, resultando em uma segunda linha (conhecida como linha de sinal). Além disso, há o histograma MACD, que é calculado com base nas diferenças entre essas duas linhas.

Sinais de Compra e Venda – Trading

Embora os indicadores sejam úteis para identificar tendências gerais, eles também podem ser usados para fornecer insights sobre potenciais pontos de entrada e saída (sinais de compra ou venda). Esses sinais podem ser gerados quando eventos específicos ocorrem no gráfico de um indicador. Por exemplo, quando o RSI apresenta uma leitura de 70 ou mais, isso poderia sugerir que o mercado está operando em condições de sobrecompra. A mesma lógica se aplica quando o RSI cai para 30 ou menos, o que geralmente é considerado como um sinal para operação do mercado em condições de sobrevenda.

Como discutido anteriormente, os sinais fornecidos pela análise técnica nem sempre são precisos. Alem disso, há uma quantidade considerável de ruído (sinais falsos) produzidos pelos indicadores de TA. Isso é especialmente preocupante nos mercados de criptomoedas, que são muito menores que os tradicionais e, portanto, mais voláteis.

Críticas

Embora amplamente utilizado em todos os tipos de mercados, o TA é considerado por muitos especialistas como um método controverso e pouco confiável e é frequentemente referido como uma “profecia auto-realizável”. Tal termo é usado para descrever eventos que só acontecem porque um grande número de pessoas assumiu que elas aconteceriam.

Os críticos argumentam que, no contexto dos mercados financeiros, se um grande número de traders e investidores confiar nos mesmos tipos de indicadores, como linhas de suporte ou resistência, as chances desses indicadores funcionarem aumentam.

Por outro lado, muitos defensores do TA argumentam que cada um tem sua própria maneira particular de analisar os gráficos e de utilizar os vários indicadores disponíveis. O que implicaria que é virtualmente impossível para um grande número de traders usar a mesma estratégia em particular.

Análise fundamental vs. análise técnica

Uma premissa central da análise técnica é que os preços de mercado já refletem todos os fatores fundamentais relacionados a um ativo específico. Porém, em contraste com a abordagem TA, que é focada principalmente em dados históricos de preços e volume (gráficos de mercado), a análise fundamental (FA) adota uma estratégia de investigação mais ampla que enfatiza fatores qualitativos.

A análise fundamental considera que o desempenho futuro de um ativo depende de muito mais do que apenas dados históricos. Essencialmente, a FA é um método usado para estimar o valor intrínseco de uma empresa, negócio ou ativo com base em uma ampla gama de condições micro e macroeconômicas, como gerenciamento e reputação da empresa, concorrência no mercado, taxas de crescimento e a situação do setor industrial.

Portanto, podemos considerar que ao contrário da TA que é usada principalmente como uma ferramenta de previsão para alterações de preço e comportamento de mercado, a FA é um método para determinar se um ativo está supervalorizado ou não, de acordo com seu contexto e potencial. Embora a análise técnica seja empregada principalmente por traders de curto prazo, a análise fundamental tende a ser preferida pelos gestores de fundos e investidores de longo prazo.

Uma vantagem notável da análise técnica é o fato de ela se basear em dados quantitativos. Sendo assim, fornece estrutura para uma investigação objetiva do histórico de preços, eliminando algumas das suposições que vêm com a abordagem mais qualitativa da análise fundamental.

No entanto, apesar de lidar com dados empíricos, a TA ainda é influenciada pelo viés pessoal e pela subjetividade. Por exemplo, um trader que esteja fortemente predisposto a chegar a uma certa conclusão sobre um ativo, provavelmente será capaz de manipular suas ferramentas de TA para apoiar seu viés e refletir suas noções preconcebidas e, em muitos casos, isso acontece sem que ele perceba. Além disso, a análise técnica também pode falhar durante os períodos em que os mercados não apresentam claramente um padrão ou tendência.

Considerações finais

Apesar das críticas e do debate controverso de longa data sobre qual método é melhor, a combinação das abordagens TA e FA é considerada por muitos como uma escolha mais racional. Embora a FA geralmentesa esteja relacionada a estratégias de investimento de longo prazo, a TA pode fornecer informações detalhadas sobre as condições de mercado de curto prazo, que podem ser úteis tanto para comerciantes quanto para investidores (por exemplo, ao tentar determinar pontos de entrada e saída favoráveis).

FOTE: https://www.binance.vision/pt/economics/what-is-technical-analysis