Whitepaper da criptomoeda do Facebook pode ser lançado em junho de 2019. Conheça aqui o projeto LIBRA!

Se você tem estado antenado nas notícias, sabe que a tecnologia Blockchain e as criptomoedas são o futuro do sistema financeiro como o conhecemos hoje. Não só o futuro, mas sua revolução já está acontecendo! Desta forma, é normal vermos grandes nomes como o Starbucks ou empresas de tecnologia, estarem à procura de soluções baseadas em Blockchain e criptomoedas. Desta vez, falaremos de uma empresa que a maioria das pessoas carrega no celular e passa a maior parte do tempo livre: o Facebook!

Antes de te contar sobre essa nova moeda da rede social, preciso que você entenda alguns termos básicos que já deixei tudo explicadinho abaixo:
O que é Blockchain?O que é Bitcoin?
Bom, então vamos lá: vocês sabem que o Facebook, Whatsapp e Instagram são todos da mesma empresa, certo? E você já deve ter percebido que a maioria das empresas tem preferido alimentar suas redes sociais do que criar seu próprio site, afinal, a rede social tá ali, bem coladinha nos clientes. Essas redes sociais, fazem parte do dia a dia da maioria das pessoas do mundo, então, se comunicar por elas é algo muito mais fácil!
A ideia da criptomoeda, cujo nome talvez seja Libra, é ser usada para pagamentos mesmo por quem não tem uma conta bancária, diminuindo os valores das taxas que são pagas à terceiros (como aluguel de maquininhas de cartão, comissões e etc). Isso quer dizer que através do Whatsapp mesmo, você pode fazer um pagamento ou até enviar dinheiro para outras pessoas em outros países.

Claro que o Facebook tem feito negociações com diversas empresas de compras online, pedindo para que entrem para a rede aceitando pagamentos na moeda que será lançada e em troca, esses e-commerces terão taxas de transações mais baixas.
Quando a moeda será lançada?
Bem… o Facebook não quis se pronunciar muito sobre o projeto, mas a ideia é que o whitepaper seja lançado agora em junho de 2019. Algumas fontes dizem que a data exata é dia 18/06/19, porém, isso pode acontecer um pouquinho antes ou depois. Pouco se sabe sobre a moeda em si, mas aparentemente, o nome da moeda para uso das pessoas será LIBRA e seu lançamento só acontecerá em 2020. Ah! Se você não sabe o que é esse documento, pode entender melhor neste post: “O que é e como fazer um Whitepaper de criptomoeda”.
Como a “Libra” vai funcionar?
O Facebook possui mais de 2 bilhões de perfis cadastrados, então ter um sistema financeiro próprio, pode causar uma nova era de pagamentos online. Como as criptomoedas poderão ser enviadas pelo Whatsapp, muitas pessoas que trabalham em outros países poderão enviar dinheiro para suas famílias sem burocracia e altas taxas. Uma outra abordagem deste método também seria para criadores de conteúdo e anunciantes, tudo girando em torno da Libra.

Ah! Pedro, mas como eu vou ficar usando criptomoeda se o preço dela uma hora tá lá no fundo do poço e na outra, está lá nas alturas? Muda demais! Não dá não!”.
É por isso que a ideia é lançar a Libra como uma stablecoin, ou seja, uma criptomoeda associada ao preço de uma moeda fiduciária, como o Real, Dólar, Euro, etc. Seria basicamente o que o Tether é hoje (veja aqui o que é Tether). Desta forma, a Libra estaria “ancorada” a uma outra moeda, garantindo sua estabilidade. Segundo informações da BBC News, o Facebook chegou a falar com diversas instituições financeiras a fim de arrecadar contribuições em moedas e títulos internacionais de baixo risco para compor uma cesta de cerca de US$ 1 bihão para garantir a estabilidade da Libra. E atualmente, a empresa está empenhada na parte de conformidade, para que consiga o pleno funcionamento de sua stablecoin em todos os países.
O pulo do gato da stablecoin do Facebook
O “pulo do gato” ou “carta na manga” ou “a cereja do bolo” do lançamento desta moeda, não é só criar um sistema de pagamentos próprio e gerar grandes movimentações na Blockchain e agradar os membros da rede social com facilidades para fazer pagamentos. Um dos benefícios mais valiosos para o Facebook é manter o registro de toda essa movimentação. Pense: hoje são utilizados os mais avançados algoritmos para aproximar os vendedores dos consumidores. Você pesquisa lá no Google “Viajar para a Itália” e de repente, suas redes sociais estão carregadas de coisa sobre a Itália, agências de viagem, malas, cursos de italiano e etc. Nunca percebeu isso? Agora imagine o Facebook saber onde você está gastando o seu dinheiro e o quanto está gastando! Ele saberá que se você gasta X criptomoedas todo mês em artigos esportivos, é porque você gosta do assunto, então passará a direcionar mais coisas desta área para você, te incentivando a comprar mais.

Mas é claro que o projeto será bom! Eu não diria que o maior benefício desta moeda é a facilidade e custo de transferir o dinheiro, pois isso já existe! Você pode fazer isso com o próprio Bitcoin ou qualquer outra altcoin, diretamente do seu celular. O que eu vejo de mais incrível nesta ideia, é aproximar as pessoas “comuns” desta tecnologia.
Acompanha comigo: é difícil fazer nossos pais entenderem e usarem o Bitcoin, mas eles têm Facebook, certo? Se não possuem um perfil, pelo menos sabem o que é. Hoje em dia, quando uma criança nasce, quase que no mesmo mês já ganha um perfil no Facebook! Agora imagine todas essas pessoas usando criptomoedas! E sabe por que elas usariam? Porque elas já usam as redes sociais, porque elas confiam. E assim, passam a se aproximar deste universo que só tem a crescer, perdendo o medo aos poucos.
Agora, é claro, precisamos esperar o Whitepaper e entender melhor o funcionamento da Libra, se é que será esse nome mesmo. Mas o que você acha desta ideia? Acredita que usando criptomoeda em uma rede social tão famosa quanto o Facebook, ajudaria as pessoas a “perderem o medo” desta nova Economia? Nos conte sua opinião lá no nosso fórum, onde você pode me perguntar o que quiser ou ajudar a responder as dúvidas de outros membros. Fique à vontade para iniciar um novo tópico quando quiser! Seja muito bem vindo(a)! =)

Please follow and like us:
error

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *